Gripe aviária chega aos EUA, mas não é versão perigosa

Cientistas descobriram a possível presença da gripe aviária nos Estados Unidos - em cisnes selvagens - mas não prece tratar-se da cepa letal que o governo teme. Exames de rotina em dois cisnes, aparentemente saudáveis, de Michigan sugere que podem ter o vírus H5N1. Testes para conformar a descoberta estão em andamento. Mas um outro exame descartou a possibilidade de que se trate da chamada versão altamente patogênica do vírus, que dizimou criações de aves pela Ásia e deixou pelo menos 138 mortos. "Este não é o vírus altamente patogênico da gripe aviária que se espalhou por boa parte do resto do mundo", disse Ron DeHaven, administrador do Serviço de Inspeção Animal e Vegetal do Departamento de Agricultura do governo americano. "Não acreditamos que este vírus represente ameaça para a saúde humana".No entanto, esta não será a primeira vez em que o vírus é detectado nos Estados Unidos. O vírus pouco agressivo foi encontrado em patos em 1975 e 1986, e em uma criação de perus em 2002. Uma versão semelhante havia sido descoberta no Canadá em 2005.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.