Gripe: era impossível impedir contágio em SP, diz Barata

O secretário de Saúde do Estado de São Paulo, Luiz Roberto Barradas Barata, disse hoje que era impossível evitar o contágio de paulistas pelo vírus da gripe suína, que já causou dez mortes no Estado. Barradas lamentou os óbitos, mas comparou o impacto da doença com as mortes causadas por gripe comum em 2008 em São Paulo. "No ano passado, a gripe comum causou 50 óbitos só nos hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS) do Estado", disse.

CAROLINA FREITAS, Agencia Estado

22 Julho 2009 | 16h19

Barradas fez um paralelo entre a situação no Brasil e a de países vizinhos, como Argentina e Chile. "A gripe chegou com força aqui no Brasil só 60 dias depois de ter chegado à Argentina. Isso mostra a boa atuação do Ministério da Saúde e da Vigilância Sanitária em contê-la", afirmou o secretário. "Mas era impossível evitar que tivéssemos casos de gripe."

O secretário reiterou que a epidemia vem evoluindo da forma esperada e que no inverno os casos da gripe A tendem a aumentar. Barradas fez as declarações em evento para a entrega de um conjunto habitacional na zona leste da capital. O governador paulista, José Serra (PSDB), levou o secretário da Saúde até o evento para responder à imprensa sobre a doença.

O prefeito da capital, Gilberto Kassab (DEM), que também foi ao evento, informou que os 115 postos de Assistência Médica Ambulatorial (AMA) da cidade ficarão abertos também aos domingos para esclarecer dúvidas e atender quem tiver sintomas da gripe suína.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.