Gripe: escola de SP terá R$ 7 mi para material higiênico

A Secretaria Estadual de Educação de São Paulo destinou R$ 7 milhões para compra de material de higiene para as escolas da rede pública, informou hoje o secretário Paulo Renato Souza. O objetivo é tentar evitar a proliferação do vírus da Influenza A (H1N1), a gripe suína. As aulas nas escolas estaduais recomeçaram hoje - elas haviam sido marcadas para 3 de agosto e foram adiadas por causa da doença. A Secretaria também vai distribuir panfletos aos 5,3 milhões de alunos da rede explicando como prevenir e tratar a enfermidade.

CAROLINA FREITAS, Agencia Estado

17 Agosto 2009 | 08h55

Os recursos suplementares devem ser usados na compra de sabonete líquido, papel toalha e copos plásticos. "Asseguramos que todas as escolas estaduais, hoje, devem ter o material", disse Paulo Renato, ao acompanhar a chegada dos alunos à Escola Estadual Dr. Alberto Cardoso de Mello Neto, no Tucuruvi, zona norte da capital paulista.

De acordo com o secretário, as escolas sempre dispuseram de sabonete e papel toalha, mas o governo estadual decidiu reforçar o estoque dos produtos para garantir que não faltem. A principal recomendação para prevenir a gripe A é lavar frequentemente as mãos com água e sabão. Paulo Renato reiterou que a rede estadual paulista vai cumprir os 200 dias letivos determinados por lei. As escolas devem apresentar, ainda esta semana, um novo cronograma de aulas para aprovação das diretorias de ensino.

Mais conteúdo sobre:
gripe suínaBrasilSPhigiene

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.