Gripe suína: espera por atendimento chega a 2h em SP

O aumento dos casos confirmados de gripe suína já é sentido no principal hospital de referência para o tratamento e diagnóstico da doença em São Paulo. A espera por atendimento no pronto-socorro do Instituto de Infectologia Emílio Ribas chegou a levar mais de duas horas durante todo o dia de ontem. O movimento cresceu nos últimos dias. ?Em relação à semana passada, posso dizer que aumentou mais de 300%?, afirmou um médico ao jornal O Estado de S. Paulo.

AE, Agencia Estado

26 de junho de 2009 | 08h13

No início da noite, na porta do hospital, cerca de 50 pacientes - muitos com máscaras cirúrgicas - aguardavam para ser atendidos. O perfil dos que procuram o hospital mudou. São pessoas que viajaram para o exterior - principalmente para a Argentina - ou que tiveram contato direto com pessoas contaminadas. ?Normalmente não procurariam o Emílio Ribas?, diz o médico. A Secretaria Estadual da Saúde afirmou que houve aumento de demanda no hospital, mas que ninguém deixará de ser atendido. São Paulo tem 142 casos confirmados. A região centro-oeste tem a maior concentração proporcional: 3,42 infectados por 100 mil habitantes. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
saúdegripe suínaBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.