Gripe suína matou pelo menos 159 pessoas neste ano no País

Maioria dos casos ocorreu no Sul; Ministério da Saúde alerta para necessidade da segunda dose da vacina

MARIÂNGELA GALLUCCI / BRASÍLIA , O Estado de S.Paulo

19 de julho de 2012 | 03h07

Pelo menos 159 pessoas morreram no País neste ano em decorrência da gripe suína. Dados oficiais divulgados ontem pelo Ministério da Saúde mostram que a maioria dos óbitos, 104, aconteceu nos Estados da Região Sul. Santa Catarina registrou 55 mortes, o que garante ao Estado o título de campeão em óbitos decorrentes da gripe em 2012. O ministério reforçou a recomendação para que as pessoas tomem a segunda dose da vacina contra a gripe, principalmente crianças de até 2 anos. Caso contrário, não estarão imunizadas.

O total de pacientes hospitalizados no País e confirmados com gripe suína soma até agora 1.449. Mais uma vez a Região Sul contabilizou a maioria dos casos: 1.117 internações. Em São Paulo, foram registradas 170 internações e 24 mortes por causa da gripe.

Ao divulgar os números, o Ministério da Saúde ressaltou que foi distribuído a todos os Estados e municípios o medicamento oseltamivir, vendido como Tamiflu. Segundo o ministério, todos os Estados e municípios têm estoque do medicamento, que é usado no tratamento da doença e reduz a possibilidade de evolução para um caso mais grave ou morte. O medicamento pode também ser comprado nas farmácias sem a necessidade da retenção da receita médica.

Conforme o balanço do Ministério, há Estados que não registraram internações de pacientes com gripe suína comprovada. São eles: Rondônia, Roraima, Maranhão, Piauí, Alagoas, Sergipe, Espírito Santo e Distrito Federal.

Vacinação. De acordo com o Ministério da Saúde, na campanha deste ano foram vacinadas 84,7% das pessoas do público-alvo, superando a meta nacional, que era de 80%. Entre os vacinados estão crianças de 6 meses a 2 anos, trabalhadores da saúde, gestantes, indígenas e idosos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.