Gripe suína: RJ estende licença a servidoras grávidas

A prefeitura do Rio de Janeiro e o governo do Estado estenderam a licença das servidoras grávidas até 11 de setembro, para tentar evitar o contágio de gripe suína. A decisão foi tomada por orientação da Secretaria de Estado de Saúde, como um cuidado preventivo, já que foi observada redução de casos de grávidas contaminadas pelo vírus H1N1.

CLARISSA THOMÉ, Agencia Estado

28 Agosto 2009 | 19h41

A prefeitura informou que, desde 4 de agosto, o Tele Saúde destinado a gestantes recebeu mais de 1.270 ligações de mulheres grávidas com sintomas da gripe. Segundo dados do Ministério da Saúde, a cada dez mulheres que contraíram a doença no País, três estavam grávidas.

Segundo medida publicada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), todos os pacientes que tomam o medicamento Tamiflu (fosfato de oseltamivir) terão de ser monitorados e as autoridades médicas notificadas quanto a possíveis reações alérgicas. A obrigatoriedade do monitoramento saiu ontem no Diário Oficial da União. A medida tem por objetivo ampliar as informações sobre a segurança da medicação durante a pandemia de gripe suína.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.