Grupo de 400 sem-terra ocupa granja no RS

Cerca de 400 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) invadiram hoje de manhã a Granja Nenê, em Nova Santa Rita, na região metropolitana de Porto Alegre. A ocupação durou menos de seis horas. O grupo deixou a área no início da tarde e voltou para um acampamento que mantém do lado de fora da propriedade rural. Apesar da saída pacífica, a movimentação dos sem-terra causou momentos de tensão. Ao entrarem na granja pela terceira vez desde abril do ano passado, os invasores anunciaram que exigiam do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) o início do processo de assentamento de mil famílias no Estado, prometido para abril deste ano. "A data (estabelecida em novembro do ano passado) está se aproximando e nenhum assentamento foi feito", ressaltou Alberto Campos, da coordenação estadual do movimento.O MST também pediu que o Incra resolva o impasse com a proprietária da Granja Nenê, Eneida Portinho. O órgão está negociando a aquisição da área de 1.169 hectares, mas não chegou a um acordo quanto ao preço a ser pago pela terra. Além de começar a montar barracas dentro da propriedade, os sem-terra derrubaram eucaliptos na estrada do Passito, que dá acesso à área, bloqueando o tráfego na região. A Brigada Militar enviou um batalhão ao local e chegou a ameaçar usar a força.No final da manhã, o chefe da Divisão de Obtenção e Implantação de Assentamos do Incra, Roberto Ramos, foi à Granja Nenê e disse aos sem-terra que haverá uma nova rodada de negociação, na segunda-feira, para aquisição da propriedade. Ele também afirmou que o órgão avalia a aquisição de mais 20 mil hectares para assentamentos nos próximos meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.