Grupo faz arrastão contra turistas em parque no Rio

A segurança do Parque Nacional da Tijuca, no Rio, onde ontem 36 turistas foram assaltados por três homens que conseguiram fugir e ainda não foram identificados, não é feita pela Polícia Militar, mas sim por vigilantes particulares. Isso porque o parque pertence à União.

FÁBIO GRELLET, Agência Estado

27 de fevereiro de 2012 | 20h55

Segundo a Secretaria de Segurança do Estado do Rio, "pela legislação em vigor, o controle dos parques florestais nacionais, bem como suas atividades de segurança, são de responsabilidade da União. As ações de policiamento estadual limitam-se ao entorno ou quando acontece um crime, pois, neste caso, o próprio Código Florestal prevê a ação das Polícias Estaduais no interior da unidade de conservação federal", afirma a pasta.

A Secretaria de Segurança está negociando com a Secretaria Estadual de Meio Ambiente um convênio para oferecer à Pasta parte do efetivo do Batalhão Policial Florestal, mas esse convênio ainda não foi concluído. Mesmo quando firmado, por conta da legislação federal, o acordo não vai permitir o policiamento do Parque da Tijuca, mas apenas das áreas de proteção ambiental e parques florestais do Estado.

Tudo o que sabemos sobre:
arrastãoparqueTijuca

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.