Grupo islâmico assume autoria de ataque contra soldados da ONU no Mali

Um grupo chefiado pelo ex-combatente da Al Qaeda Mokhtar Belmokhtar reivindicou a autoria de um ataque suicida contra soldados da ONU (Organização das Nações Unidas) no norte do Mali, no começo desta semana, quando pelo menos duas pessoas morreram.    Pelo menos dois civis morreram e oito soldados do Níger ficaram seriamente feridos na quarta-feira, no ataque contra a base da ONU na cidade de Ansongo, cerca de 80 quilômetros ao sul de Gao.    O site de notícias Alakhbar, da Mauritânia, postou um comunicado por áudio na sexta-feira, reivindicando o ataque para o grupo islâmico Al-Mourabitoun.    "Nós, do  grupo Al-Mourabitoun, anunciamos a operação de martírio de um dos nossos combatentes, Ibrahim al-Ansari, realizada no Quartel General das forças do Níger”, afirmou o áudio, gravado com baixa qualidade.    A autenticidade do áudio não pôde ser confirmada, mas o Alakhbar é muito usado por militantes islâmicos no Mali.

REUTERS

18 Abril 2015 | 10h55

O grupo Al-Mourabitoun foi formado pelo veterano jihadista argelino Belmokhtar, que é alvo de forças franceses que buscam prender militantes ligados à Al Qaeda no oeste africano.

(Reportagem de Tiemoko Diallo e Adama Diarra)

Mais conteúdo sobre:
ATAQUE SOLDADOS DA ONU*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.