Grupo islâmico reivindica responsabilidade por ataque no Mali que matou 5 pessoas

O site de notícias mauritano Al-Akhbar disse que o grupo islâmico al-Mourabitoun reivindicou a responsabilidade por um ataque na capital do Mali, Bamako, que matou cinco pessoas neste sábado.

REUTERS

07 de março de 2015 | 17h53

O Alakhbar, que frequentemente recebe declarações enviadas por militantes islâmicos no Mali, disse que tinha recebido um vídeo que iria postar mais tarde.

O al-Mourabitoun foi formado pelo jihadista veterano Mokhtar Belmokhtar, que é alvo das forças francesas que buscam militantes ligados à Al-Qaeda na região do Sahel-Sahara.

Militantes mataram cinco pessoas, incluindo um cidadão francês e um oficial de segurança da Bélgica, antes de escaparam de ataque armado a um restaurante nas primeiras horas deste sábado, segundo autoridades.

Citando a gravação de vídeo, o site disse que o ataque foi uma represália ao assassinato por tropas francesas em dezembro de Ahmed al Tilemsi, um dos comandantes do grupo.

Os militantes foram dispersos por uma ofensiva francesa em janeiro de 2013 e a França manteve mais de 3.000 soldados na região. O exército francês disse na quinta-feira que tinha matado quatro terroristas armados no norte do Mali em 2 de março.

(Por Adama Diarra)

Tudo o que sabemos sobre:
MALIATAQUERESTAURANTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.