Grupo privado lança projeto espacial para explorar asteroides

Os fundadores do Google e o diretor de cinema James Cameron querem construir naves baratas para ir ao espaço

GUSTAVO CHACRA, CORRESPONDENTE / NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

25 Abril 2012 | 03h01

Um megaempreendimento espacial privado foi lançado por empresários e celebridades ontem nos Estados Unidos. O Planetary Resources (Recursos Planetários), como é denominado o projeto, buscará em alguns anos ter a capacidade de fazer mineração em asteroides que estejam em órbita perto da Terra.

Os fundadores do Google e o diretor de cinema James Cameron integram o grupo por trás do empreendimento que prevê a fabricação de naves ultrabaratas para irem ao espaço.

O anúncio reflete uma política do governo americano de tentar convencer o setor privado a assumir os custos de enviar missões ao espaço. A Nasa, agência espacial americana, deve ser um dos clientes do Planetary Resources.

"Uma missão de demonstração deve ser lançada em cerca de dois anos", disseram Peter Diamandis e Eric Anderson, que são alguns dos fundadores do empreendimento.

Setor privado. Esta não será a primeira empresa privada a investir recursos para ir ao espaço. Concorrentes planejam nos próximos anos enviar missões tripuladas comerciais com multimilionários e bilionários que queiram entrar em órbita.

Já o Planetary Resources não pretende ganhar dinheiro no curto prazo, de acordo com os seus fundadores. A mineração começaria a dar retorno talvez em dez anos. Um asteroide de 30 metros pode possuir até US$ 50 bilhões em platina.

Cientistas, no entanto, mostravam ceticismo com o empreendimento e afirmavam que os gastos devem ser bem maiores do que o previsto pelos fundadores e ainda com o risco de fracasso dessas missões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.