Grupo protesta contra morte de dançarino no Rio

Manifestantes que partiram às 13h do morro Pavão-Pavãozinho (Copacabana, zona sul), rumo ao cemitério São João Batista (Botafogo, zona sul), pararam em frente à sede do 19º Batalhão de Polícia Militar (BPM), na rua Tonelero (Copacabana), para protestar contra a morte do dançarino Douglas Pereira.

MARCELO GOMES E SERGIO TORRES, Agência Estado

24 Abril 2014 | 14h04

Os cerca de 50 manifestantes acusam policiais militares pela morte do rapaz, ocorrida na última segunda-feira, 21, em uma creche na favela. Pereira, que trabalhava no programa Esquenta (TV Globo), foi morto com um tiro nas costas, de acordo com o laudo cadavérico do Instituto Médico Legal (IML).

A passeata interrompeu o trânsito na Avenida Nossa Senhora de Copacabana e na Rua Figueiredo Magalhães, duas das principais vias de Copacabana. Comerciantes fecharam as lojas às pressas, com medo de depredações e saques. A PM acompanha a manifestação, mas não houve ainda violência. Cerca de dez mototaxistas promovem um buzinaço à frente dos manifestantes. que caminham para o cemitério onde Pereira será enterrado.

Mais conteúdo sobre:
dançarino morte Rio protesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.