Guarda é denunciado por puxão de orelha em aluno

Irritado porque o estudante não queria ir para casa, após ser colocado para fora da escola, o comandante da Guarda Municipal de Piedade (SP), Antônio Santti, puxou a orelha de um aluno de 12 anos da Escola Estadual Professora Theodora Camargo Ayres.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

28 Abril 2011 | 19h25

Ele disse que fez o gesto por brincadeira e sem a intenção de agredir, mas o Conselho Tutelar do município denunciou o guarda municipal por agressão e abuso de autoridade. Santti corre o risco de ser processado civil e criminalmente e, ainda, de perder o cargo.

O puxão de orelha ocorreu no dia 19 de abril, mas só chegou ontem ao conhecimento da Polícia Civil, depois que a presidente do Conselho, Sidnéia Ponsoni, foi à casa da família e tomou o depoimento do garoto. Ela convenceu a família a denunciar a agressão à polícia.

Segundo a conselheira, os familiares não tinham levado o caso adiante por medo de sofrer represálias. Um guarda municipal, que acompanhava o comandante, e dois funcionários da escola confirmaram a versão do garoto.

De acordo com a Polícia Civil, o menino estava fazendo guerra de bolinhas de papel com os colegas de classe, quando foi surpreendido pelo professor. Levado à diretoria, foi suspenso por cinco dias, porém, ao invés de ir para a casa, ficou na frente da escola.

Mais conteúdo sobre:
orelhapuxãoalunoPiedadeescola

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.