Guarda Municipal do Rio interdita avenidas para protesto

A Guarda Municipal do Rio interrompeu no fim da tarde desta terça-feira, 15, o cruzamento das Avenidas Rio Branco e Presidente Vargas, onde cerca de 2 mil manifestantes, entre professores, sindicalistas, representantes de movimentos sociais e estudantes, se concentram para uma passeata que começará na Candelária e seguirá pela Avenida Rio Branco até Cinelândia.

MARCELO GOMES, Agência Estado

15 Outubro 2013 | 18h09

A maioria dos presentes veste camisetas pretas com frases de apoio à greve dos professores municipais da capital fluminense e com críticas ao prefeito Eduardo Paes (PMDB) e ao governador Sérgio Cabral Filho (PMDB). Também há muitas bandeiras de partidos, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e do Brasil. Até o momento, não há mascarados. Centenas de PMs, a maioria do grupo conhecido como "alfanuméricos", por trazer identificações com letras e números sobre o uniforme, chegaram à região. Também há policiais com cassetetes e pistolas de eletrochoque do tipo taser.

Mais conteúdo sobre:
Protestos professores Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.