Guerra aterroriza Rio e já soma 26 mortos

Dezoito pessoas morreram ontem no Rio de Janeiro, incluindo uma estudante de 14 anos, no quarto dia de confrontos entre polícia e criminosos nas ruas e nos morros. Foi o pior dia desde que a onda de arrastões e violência atingiu o Rio, no domingo. Ao todo, já são 26 mortos, 41 presos e dezenas de feridos.

AE, Agência Estado

25 de novembro de 2010 | 08h53

Balanço da Polícia Militar divulgado hoje informa que foram apreendidas 29 armas entre pistolas e revolveres, além de 10 fuzis, duas espingardas calibre 12, uma submetralhadora, cinco granadas, duas bombas caseiras. Os números chamam a atenção da imprensa internacional por causa da Copa do Mundo de 2014 e da Olimpíada de 2016.

Apesar das ações do governo para conter a onda de violência, incluindo transferência de oito presos para Catanduvas (PR) e operações em 27 favelas por tempo indeterminado, os ataques a veículos e os confrontos prosseguiram até a noite. Quarenta e sete escolas e dez creches, que atendem 17.772 alunos, não puderam funcionar ontem. A Universidade Gama Filho, na Piedade, zona norte, encerrou as aulas mais cedo.

Segundo informações do setor de inteligência da Secretaria de Segurança, a ordem para espalhar o terror teria partido de Marcinho VP, preso em Catanduvas (PR). O responsável pelas ações seria Fabiano Atanásio, o FB, da Vila Cruzeiro. O governo acredita que os ataques sejam uma reação às Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), que retomaram regiões dominadas por traficantes, e representariam a primeira ação conjunta das facções Comando Vermelho e Amigos dos Amigos (ADA).

O governador Sérgio Cabral Filho (PMDB) prometeu não desistir de UPPs. "São manifestações desesperadas (dos criminosos)," disse. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
violênciaataquesRiomortosguerra

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.