Guia de redação do Enem diverge do edital da prova

Produzido ao custo de R$ 2 milhões, o guia da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) contém uma orientação diferente do edital que define suas regras. A divergência é nos critérios de anulação da redação e pode provocar confusão.

O Estado de S.Paulo

03 de agosto de 2012 | 03h05

No manual, lançado nesta semana, há a informação de que o "desrespeito aos direitos humanos" é motivo para atribuir nota zero ao texto. Mas isso não está entre os motivos para anulação elencados no edital. O respeito aos direitos humanos está apenas entre os critérios de avaliação - sem que isso possa zerar.

"Se houver problema na redação de um aluno, como nos anos anteriores, vai haver ambiguidade", diz Ana Nakazoni, da EscreverOnline, um curso de redação.

O Ministério da Educação (MEC) argumenta que não há contradição, mas uma diferença de objetivos. O edital explicitaria as situações em que o estudante terá nota zero, enquanto o guia detalha "que um critério decisivo para a avaliação da redação é o respeito aos direitos humanos". / P.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.