Guiné fecha fronteiras com Serra Leoa e Libéria em tentativa de conter Ebola

A guiné anunciou o fechamento de suas fronteiras com a Serra leoa e com a Libéria neste sábado, em uma tentativa de conter a propagação do Ebola, vírus que já matou cerca de mil pessoas nos três países neste ano.

REUTERS

09 Agosto 2014 | 10h59

Pelo menos 367 pessoas morreram na Guiné de Ebola desde março e outras 18 estão sendo tratadas no país em isolamento, mas a decisão foi tomada principalmente para evitar que pessoas infectadas cruzem as fronteiras, disseram autoridades.

"Nós fechamos preventivamente a fronteira entre Guiné e Serra Leoa principalmente por causa de todas as notícias que temos recebido de lá recentemente", disse a jornalistas o ministro da Saúde do país, Rémy Lamah, destacando que a Guiné também fechou suas fronteiras com a Libéria.

As medidas foram tomadas após consulta aos países vizinhos, disse o ministro de Cooperação Internacional, Moustapha Koutoub Sano.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse na sexta-feira que o Ebola representa uma emergência mundial e que pode continuar a se propagar durante meses.

A Nigéria tornou-se a terceira nação africana, depois de Serra Leoa e Libéria, a declarar emergência nacional na sexta-feira, enquanto os sistemas de saúde da região esforçam-se para lidar com o avanço de uma das doenças mais mortais conhecidas pelo homem.

(Reportagem de Saliou Samb)

Mais conteúdo sobre:
GUINEEBOLAFRONTEIRA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.