Há controles químicos e naturais

Em relação ao controle químico, que pode ser curativo ou preventivo, Campos diz ser o método mais prático e viável economicamente. O curativo, diz, consiste em fazer o ''expurgo'' ou fumigação, que usa um inseticida gasoso volátil (fosfina) para eliminar as pragas em todas as suas fases de desenvolvimento. A massa de grãos é coberta com lona e as pastilhas liberam o gás tóxico.''Levando em conta que as infestações começam no campo e continuam no transporte e no armazenamento, a produção deve ser submetida a esse tratamento logo após a entrada nos depósitos.'' Já o tratamento preventivo é feito após o expurgo, para preservar a qualidade dos grãos e evitar reinfestações. Uma alternativa natural é o uso da terra de diatomácea, um pó fino feito a partir de rochas e algas marinhas que possui efeito abrasivo para os insetos. A proporção recomendada é de, no máximo, 1 quilo de terra de diatomácea para 1 tonelada de grão.EM CASAA presença de insetos, principalmente carunchos, em embalagens de arroz, macarrão, bolachas, farinhas, amendoins e outros alimentos guardados em casa, não provoca danos à saúde, segundo Campos. ''Desde que a infestação não ocorra em grande quantidade, pode-se peneirar o produto, e lavá-lo, se possível, antes do consumo.'' Segundo ele, os insetos mais comuns encontrados em despensas são besouros de formato arredondado e castanho-escuros, carunchos e pequenas mariposas acinzentadas. Campos recomenda manter a despensa limpa e não estocar esses alimentos por muito tempo. ''Em hipótese nenhuma deve-se usar produtos químicos em armazenagens domésticas.''

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.