Hackers invadem site da ONU e deixam protesto

Invasores se identificaram como "turcos deformados" e se manifestaram contra EUA e Israel

BBC

13 Agosto 2007 | 10h09

Hackers invadiram o site oficial das Organização dos Nações Unidas (ONU) e forçaram os administradores a tirar algumas seções do ar.   Frases de protesto que acusavam os Estados Unidos e Israel a matar crianças apareceram na área reservada aos pronunciamentos do secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon.   Outras páginas do site também foram invadidas pelo grupo, que descreveu seu ato como um "ciberprotesto".   Em outros ataques, hackers já usaram o mesmo nome e declararam agir da Turquia.   Dessa vez, a mensagem no site da ONU dizia "Hey Ysrail and Usa dont kill children and other people Peace for ever No war." ("Ei, Israel e Estados Unidos, não matem crianças e outras pessoas. Paz para sempre. Não à guerra.")   Os hackers se identificaram como "kerem125", "Gsy" e "M0sted".   Em uma mensagem deixada no site de uma agência de viagem, os mesmos invasores se descreveram como "turcos deformados".   A ONU foi forçada a tirar as página do ar para ajustes, mas pouco tempo depois os pronunciamentos do secretário-geral já estavam disponíveis.

Mais conteúdo sobre:
Hackers Web ONU Estados Unidos Israel

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.