Hackers pró-Palestina tiram site do Groupon em Israel do ar

Um grupo pró-Palestina, que alega ser do Paquistão, fechou o site israelense do grupo de compras coletivas Groupon nesta segunda-feira, a fim de protestar contra uma ofensiva militar de Israel contra militantes do Hamas na Faixa de Gaza.

Reuters

19 de novembro de 2012 | 14h37

O ciberataque acontece um dia após o ministro das Finanças de Israel ter dito que mais de 44 milhões de tentativas de ciberataques foram feitas contra websites do governo desde a última quarta-feira, quando o Estado judaico iniciou ataques aéreos contra alvos em Gaza.

Usuários que tentaram acessar o site do Groupon no país testemunharam uma ofensiva piada com Israel e judeus.

O Groupon Israel chamou o incidente de um "leve ataque" aos servidores nos Estados Unidos, onde o domínio do site israelense está baseado.

O Groupon disse estar trabalhando para resolver o problema e que o site deve estar operacional em breve.

Israel lançou uma grande campanha de ataques aéreos na semana passada, buscando evitar que mísseis sejam lançados contra o país por militantes palestinos em Gaza. Cerca de 90 palestinos e três civis israelenses foram mortos como resultado do contínuo confronto.

(Por Steven Scheer e Tova Cohen)

Tudo o que sabemos sobre:
TECHGROUPONISRAEL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.