Hackers roubam dados de 1,3 milhão de clientes da Sega

Clientes do serviço de jogos online da companhia tiveram informações pessoais expostas

Reuters,

19 de junho de 2011 | 06h40

TÓQUIO - A companhia japonesa Sega Corp informou neste domingo, 19, que foram roubadas informações pessoais de 1,3 milhão de clientes de sua base de dados, no último de uma série de ciberataques globais contra empresas de videogame.

 

A Sega afirmou que os dados expostos foram nomes, datas de nascimento, endereços de e-mail e senhas de acesso de usuários de seu serviço de jogos online Sega Pass, mas informações de pagamento como números de cartões de crédito teriam escapado imunes ao ataque. A empresa fechou o Sega Pass.

 

"Lamentamos profundamente causar problemas para nossos clientes. Vamos trabalhar para reforçar a segurança", disse Yoko Nagasawa, porta-voz da Sega, que disse que não há previsão para o restabelecimento do serviço de jogos online.

 

O ciberataque contra a Sega, uma divisão da Sega Sammy Holdings, que fabrica software para jogos e máquinas de fliperama, ocorre logo após outros ataques importantes como ao Citigroup e ao Fundo Monetário Internacional.

 

Lulz Security, um grupo de hackers que lançou outros ataques contra companhias de videogame como Nintendo, inesperadamente se ofereceu para descobrir e punir os culpados pelo roubo da base de dados da Sega.

Tudo o que sabemos sobre:
Segaciberataquehacker

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.