Hackers vão testar defesas contra ataques eletrônicos de bancos britânicos

Nos próximos meses, hackers vão tentar penetrar as defesas eletrônicas de grandes bancos da Grã Bretanha e roubar informações de milhões de clientes. Mas desta vez serão bem vindos.

REUTERS

19 Novembro 2014 | 15h18

Os bancos estão em alerta vermelho após criminosos cibernéticos terem obtido detalhes sobre 83 milhões de clientes do JPMorgan Chase neste ano, e os principais bancos britânicos aceitaram participar de testes que permitem que equipes de hackers certificados ataquem à vontade.

Os jogos de guerra eletrônica vão marcar uma grande escalada sobre como bancos testam suas defesas em uma batalha de alto risco com criminosos.

"É a primeira vez que bancos terão seus sistemas testados por ameaças de seguranças em um ambiente real em vez de um ambiente simulado ou isolado", disse o sócio da equipe de segurança eletrônica da KPMG Stephen Bonner.

Crimes eletrônicos custam 445 bilhões de dólares ao ano à economia global e a conta está crescendo, segundo o Centro de para Estudos Estratégicos e Internacionais (CSIS, na sigla em inglês), que disse que os crimes prejudicam o comércio, competitividade e inovação em vários setores.

O banco central da Inglaterra está por trás da iniciativa. Em junho, o BC detalhou um novo plano chamado de CBEST para lidar com a crescente ameaça eletrônica. O plano inclui o compatilhamento de inteligência de agências do governo, como a agência britânica de espionagem GCHQ, empresas e o encorajamento de testes mais intensos de instituições financeiras.

Testes pilotos já começaram e a maioria das instituições devem concluir o processo até o final de 2015, disse uma das fontes. Os testes também vão envolver companhias de seguros, bolsas financeiras e operadoras de sistemas de pagamentos.

(Por Steve Slater e Matt Scuffham)

Mais conteúdo sobre:
TECHBANCOSTESTES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.