Haddad promete 50 km de corredores até fim do mandato

Além das faixas exclusivas, a gestão do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), promete criar 150 quilômetros de corredores para ônibus até o fim de 2016, quando termina o atual mandato. Estarão contempladas vias nas quais a Prefeitura agora promete criar faixas exclusivas, como as Avenidas 23 de Maio e Rubem Berta.

ARTUR RODRIGUES E CAIO DO VALLE, Agência Estado

28 de junho de 2013 | 07h46

Especialistas em trânsito são unânimes em afirmar que corredores são muito mais eficazes (embora mais caros) que faixas exclusivas para assegurar uma melhoria do desempenho dos ônibus. Há menos interferências viárias nos corredores, que, em geral, ficam até fisicamente separados das ruas.

Uma faixa exclusiva à direita tem a capacidade de levar cerca de 10 mil passageiros por hora e sentido, enquanto os corredores variam entre 10 mil e 30 mil, de acordo com dados da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP). Esse fluxo maior também pode aumentar a velocidade média dos ônibus. Hoje, em São Paulo, a média é de 13 km/h. A Prefeitura prevê aumentá-la para ao menos 25 km/h com as novas vias.

A cidade de São Paulo tem dez corredores de ônibus, que somam 120 km em avenidas como a 9 de Julho, a Rebouças e a Francisco Matarazzo. Para a construir os outros 150 km, Haddad afirma que buscará recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). "Os corredores envolvem investimento e nós vamos captar recursos. Tenho uma reunião na semana que vem em Brasília, para fechar o PAC de São Paulo", disse.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
transportesSPHaddadcorredores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.