Haddad promete transporte 24 horas em metas para 2014

Um decreto publicado nesta quinta-feira, 18, no Diário Oficial da Cidade de São Paulo estabelece 100 metas para diversas áreas da administração municipal, entre as quais saúde, educação, meio ambiente e transportes. Esses objetivos deverão ser total ou parcialmente cumpridos pela gestão de Fernando Haddad (PT) ao longo do próximo ano.

CAIO DO VALLE, Agência Estado

18 de julho de 2013 | 11h30

No setor de transportes, o governo do petista garante que, em 2014, terá início o projeto piloto para a criação de linhas de ônibus que permitam o funcionamento 24 horas do transporte público na capital. Uma das ideias é criar percursos que façam o mesmo trajeto das linhas de metrô, que fecham entre a meia-noite e as 4h40. O presidente do Metrô, Luiz Antonio Carvalho Pacheco, afirmou no início de julho que já está em tratativas com a Prefeitura neste sentido. O Metrô é gerido pelo governo do Estado, do tucano Geraldo Alckmin.

A promessa de 340 km de ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas ainda no ano que vem é uma das mais aguardadas por cicloativistas da capital. Ao todo, a gestão havia prometido fazer 400 km desse dispositivo ao longo de todo o mandato de Haddad.

O decreto estabelece ainda a criação de mais 44,2 km de faixas exclusivas de ônibus à direita, como as que já existem nas Marginais do Tietê e do Pinheiros e na Avenida Paulista. Neste ano, a Prefeitura já instalou 83 km desse tipo de dispositivo, que permite a melhoria da velocidade média dos coletivos em vias congestionadas.

Haddad também prevê, no ano que vem, obras em todos os novos corredores de ônibus já anunciados por ele. Sua gestão prometeu "projetar, licitar, licenciar, garantir a fonte de financiamento e construir 150 km de novos corredores de ônibus de alto padrão" até o fim de 2016. Essas vias deverão ter áreas de ultrapassagem e áreas para virar as catracas fora dos ônibus, o que diminui as filas e o tempo de espera.

A Avenida Jornalista Roberto Marinho, na zona sul da capital paulista, também terá obras de ampliação, pelo programa de metas de Haddad para 2014. Um parque linear será construído - esse projeto permitirá o avanço da Linha 17-Ouro do monotrilho, do Metrô de São Paulo, até o Jabaquara. A Avenida Doutor Chucri Zaidan, na zona sul, igualmente será prolongada, com a necessidade de um reassentamento populacional.

Ainda naquela região da cidade, a Avenida Guarapiranga será alargada em 5,7 km. Obras assim também serão feitas nas Estradas do M''Boi Mirim. Já a Marginal do Pinheiros e a Avenida Carlos Caldeira Filho serão prolongadas.

Uma ponte começará a ser construída em 2014 sobre o Rio Tietê, ligando a Avenida Raimundo Pereira de Magalhães, na zona norte, ao bairro da Lapa, na zona oeste. Essa é a meta número 84 de Haddad, que prevê "projetar, licitar, licenciar e garantir a fonte de financiamento" da obra. O empreendimento deverá ter cerca de 200 metros de extensão.

Ao todo, 1.973 semáforos da cidade de São Paulo deverão ser modernizados em 2014, como prevê a meta 79 da Prefeitura.

Saúde e educação

Haddad também deve iniciar as obras de três hospitais no próximo ano. Na área de saúde, quer abrir em 2014 dez unidades da Rede Hora Certa, cada uma delas em uma subprefeitura diferente.

Além disso, Haddad, que antes de ser eleito prefeito de São Paulo foi ministro da Educação dos governos Lula e Dilma, promete entregar 41 novas escolas municipais de educação infantil (Emeis) em 2014. Até o fim de sua gestão, deverão ser 65 no total. Já os centros de educação infantil (CEIs) devem ter 70 unidades inauguradas no ano que vem.

Por sua vez, os centros educacionais unificados (CEUs), criados na gestão da também petista Marta Suplicy (2001-2004) em regiões periféricas da cidade, ganharão 13 unidades em 2014. Ao todo, até o último ano de seu mandato, em 2016, o prefeito garante abrir outros sete.

Mais conteúdo sobre:
Haddadtransportemetas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.