Haddad reúne-se com Mantega para tratar do PAC

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, afirmou nesta terça-feira, 3, que a reunião com o Ministro da Fazenda, Guido Mantega, tratou do cronograma a ser estabelecido para os desembolsos do governo federal para o município, no valor de R$ 8 bilhões. O montante será destinado a obras de mobilidade e infraestrutura previstas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

GUSTAVO PORTO, Agência Estado

03 de setembro de 2013 | 13h56

"Depois de conversarmos com o Planejamento, vem o desembolso e foi isso que conversamos" disse o prefeito. "Agora as áreas técnicas tratarão das diretrizes para o desembolso e dos procedimentos, como licenciamento ambiental", completou o prefeito, que deixou no início da tarde o escritório do Ministério da Fazenda em São Paulo após uma hora e meia de reunião.

Segundo prefeito, após essas reuniões técnicas ele irá a Brasília e finalizará o cronograma de liberação dos recursos. Ele afirmou, no entanto, que ainda não há um prazo determinado para essas liberações.

Dívida

Haddad disse ainda que a renegociação de R$ 50 bilhões da dívida entre o município paulistano e a União não chegou a ser discutida no encontro desta manhã. Ainda assim, ele voltou a criticar o juro cobrado pela União. Haddad ratificou que defende a troca do indexador da dívida da cidade, que hoje é o IGP-DI mais 9% por IPCA somado a 4%.

"O conceito que está se consolidando, é que a taxa de juros que o ente paga pela sua dívida não pode ser maior do que a taxa de juros que a União paga para rolar a sua própria dívida", disse Haddad.

Ainda segundo ele, as discussões sobre a troca do indexador estão avançando e São Paulo é o município que está menos "resistente" a esse diálogo. "São Paulo é o que tem mais interesse no projeto e há outros 99 municípios que estão na mesma situação", destacou.

Mais conteúdo sobre:
HaddadMantegaPAC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.