Haiti libera norte-americano acusado de sequestro

Um funcionário de ajuda humanitária norte-americano foi liberado de uma prisão no Haiti mais de duas semanas depois de ter sido detido com alegações de que ele sequestrou um bebê de 15 meses de um hospital, disse um procurador haitiano na quinta-feira.

REUTERS

30 de dezembro de 2010 | 16h35

O pai do menino acusou Paul Waggoner de roubar o seu filho, que foi admitido no hospital onde Waggoner trabalhava. A corte recebeu evidências de que o bebê tinha morrido no hospital.

Waggoner, que é cofundador do grupo de ajuda Materials Management Relief Corps, criado após o terremoto que atingiu o Haiti, foi liberado na quarta-feira, conforme informou seu advogado, Enock-Gene Genelus, à Reuters.

Um juiz abriu uma investigação para determinar se o bebê tinha sido sequestrado ou morreu no hospital depois do terremoto devastador que atingiu o Haiti em 12 de janeiro e deixou mais de 250.000 mortos.

Waggoner indicou que ele pode colocar um fim a seu envolvimento pessoal com ajuda humanitária em campo no Haiti, mas pediu a outros trabalhadores que continuem seus esforços.

"Eu adoro o Haiti e temo que este incidente faça com que muitos trabalhadores de ajuda humanitária deixem de vir para ajudar", afirmou.

(Reportagem de Joseph Guyler Delva)

Tudo o que sabemos sobre:
HAITISEQUESTRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.