Haitianos destacam em currículo fluência em vários idiomas

Eles procuram emprego na construção civil porque acham mais fácil conseguir uma vaga

Ana Carolina Sacoman, O Estado de S.Paulo

15 Julho 2018 | 05h00

No País há quase uma década ou recém-chegados, é fácil encontrar um haitiano nas agências da Lapa. Seus currículos têm como diferencial a fluência em diversos idiomas. Todos os que foram abordados pela reportagem afirmavam falar crioulo, francês (línguas oficiais do Haiti), espanhol, inglês e português.

 +Lapa, em SP, tem o 'quadrilátero do desemprego' 

Eles procuravam emprego na construção civil, onde dizem ser mais fácil conseguir vaga. “Mas se você concorre com um brasileiro, o emprego vai para ele. Está certo, mas também precisamos trabalhar”, diz Ynorel Julda, de 33 anos, desde 2011 no País.

Além de não conseguir uma recolocação, Onel Atis, de 32 anos, há 11 meses no Brasil, diz que sofreu um golpe. “Uma agência no centro cobrou R$ 380 em troca de um emprego. Paguei e sumiram.” Há ainda menos tempo no País, Jean Lys Gerard, de 35 anos, sorri aparentemente sem entender quando a reportagem observa que, dos cinco idiomas em que aponta fluência, pelo menos um, o português, ainda deixa a desejar. “Na construção civil não precisa falar tão bem”, defende o amigo Onel. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.