Hamas acusa Egito de torturar militantes

Militantes do grupo palestino foram presos após cruzarem a fronteira, em janeiro.

Da BBC Brasil, BBC

21 de março de 2008 | 09h35

O movimento palestino Hamas acusou o governo egípcio de torturar dezenas de militantes que foram presos após cruzar a fronteira da Faixa de Gaza com o país, em janeiro.Uma autoridade do Hamas disse que 39 militantes estão atualmente presos no Egito e outros 90 foram soltos nas últimas semanas.Segundo o correspondente da BBC Bob Trevelyan, fontes do Hamas dizem que os "prisioneiros estão sofrendo todos os tipos de tortura".Ainda segundo o Trevelyan, os militantes que foram soltos disseram ter sido interrogados sobre questões "que não tinham nada a ver com a segurança egípcia".Eles disseram que policiais estavam interessados em "saber sobre movimentos de líderes do Hamas e o paradeiro do soldado israelense Gilad Shalit, capturado em junho de 2006".As autoridades egípcias não comentaram as acusações.A situação dos prisioneiros do grupo palestino foi recentemente discutida em reuniões entre autoridades egípcias e representantes do Hamas, na cidade egípcia de El-Arish.Vários membros do Hamas entraram no Egito pela Faixa de Gaza juntamente com centenas de milhares de palestinos depois que militantes demoliram parcialmente o muro que separa o território do Egito, no dia 23 de janeiro.A grande maioria foi comprar comida e produtos que ficaram escassos depois que Israel resolveu bloquear sua fronteira com Gaza, para pressionar militantes palestinos a cessarem o lançamento de foguetes contra cidades israelenses.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.