Hamas se fortalece na Cisjordânia, indica pesquisa

Em três meses, o Fatah perde terreno para facção rival na Cisjordânia e na Faixa de Gaza

Guila Flint, BBC

18 de março de 2008 | 11h15

Uma pesquisa realizada pelo instituto Halil Shkaki, de Ramallah, indica uma mudança significativa na opinião pública palestina em favor do Hamas. De acordo com a pesquisa, o apoio ao Hamas, que controla a Faixa de Gaza, também aumentou na Cisjordânia. O Instituto Halil Shkaki, considerado o maior instituto de pesquisas palestino, publicou na segunda-feira um levantamento indicando que nos últimos três meses o Partido Fatah, do presidente Mahmoud Abbas, perdeu força para o Hamas, tanto na Faixa de Gaza como na Cisjordânia. De acordo com o instituto, se as eleições para a Presidência palestina fossem realizadas hoje, o líder do Hamas, Ismail Haniya, venceria com uma pequena vantagem sobre o atual presidente e líder do Fatah, Mahmoud Abbas. Haniya obteria 47% dos votos e Abbas, 46%. A pesquisa anterior, realizada em dezembro, indicava um apoio de 56% ao presidente palestino e apenas 37% ao líder do Hamas. Segundo a pesquisa, cerca de 10% dos palestinos mudaram de opinião nesses três meses - deixaram de apoiar o Fatah e passaram a preferir o Hamas. O relatório atribui a mudança na opinião pública aos ataques de Israel na Faixa de Gaza, que deixaram mais de 120 palestinos mortos no início de março. Muro Outro fator que pode ter aumentado o apoio ao Hamas foi a derrubada do muro que separa a Faixa de Gaza do Egito, em janeiro. O evento foi considerado pela população palestina como uma vitória do Hamas. A pesquisa de intenções de voto em eleições parlamentares também indica uma mudança significativa em favor do Hamas. Se hoje houvessem eleições parlamentares nos territórios palestinos, o Hamas obteria 35% dos votos e o Fatah, 42%. Em dezembro, a vantagem do Fatah era bem maior: os números indicavam 31% para o Hamas e 49% para o Fatah. O escritor palestino Rifat Kassis, de Beit Sahour, disse à BBC Brasil que o fortalecimento do Hamas "é conseqüência direta da decepção dos palestinos com o processo de paz". Kassis, que também é presidente da seção palestina da ONG Defence for Children International, afirmou que a mudança de opinião decorre do "fracasso da Autoridade Palestina em cumprir as promessas feitas desde a Conferência de Annapolis (em novembro do ano passado, nos Estados Unidos)". "Desde Annapolis a situação só piorou", disse Kassis, citando "mais ataques israelenses, mais mortos palestinos, mais assentamentos". "Parece que Israel está fazendo todo o esforço para destruir a credibilidade de Mahmoud Abbas", acrescentou. "A população palestina conclui que o caminho das negociações não traz resultados e volta a apoiar o caminho da resistência armada, representado pelo Hamas", concluiu o escritor.   Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.