Hamilton conquista segundo título da Fórmula 1 com estilo

Lewis Hamilton entrou para a elite dos bicampeões da Fórmula 1 neste domingo depois de uma atuação de acabar com os nervos na etapa final da temporada, em Abu Dhabi.

ALAN BALDWIN, REUTERS

23 Novembro 2014 | 13h57

Em uma corrida assombrada pela sempre presente possibilidade de falha mecânica, depois que o companheiro de Mercedes, Nico Rosberg, perdeu potência no começo do dia, Hamilton venceu sua 11ª corrida em 19 na temporada.

O piloto de 29 anos, que foi campeão pela primeira vez com a McLaren, em 2008, tornou-se o primeiro britânico a conquistar mais de um título desde Jackie Stewart, em 1971, e apenas o quarto do país.

"Lewis, muito obrigado por não ter decepcionado o povo britânico", disse o príncipe Harry pelo rádio, depois da bandeira quadriculada. "Você é uma lenda absoluta".

Hamilton, chorando no pódio enquanto o hino tocava, e com a voz embargada nas entrevistas, deu uma volta lenta com a bandeira do Reino Unido no cockpit. 

"Campeão do mundo. Meu Deus, eu não consigo acreditar. Obrigado a todos", gritou pelo rádio antes de estacionar e abraçar o pai, a namorada pop star Nicole Scherzinger e a família.

A vitória estabeleceu um recorde de 16 na temporada para a Mercedes.

Rosberg terminou em 14º depois de largar da pole position. O "duelo no deserto" tornou-se um pesadelo para o alemão, filho do campeão de 1982, Keke Rosberg.

Ele perdeu potência na 25ª das 55 voltas e reclamou dos freios enquanto perdia posições.

Quando a equipe pediu que desistisse, Rosberg quis ficar no circuito para pelo menos terminar a temporada na pista e cruzou a linha de chegada em 14º lugar.

"Pedimos desculpas por não ter dado certo, mas você pilotou como um campeão", disse o diretor técnico da Mercedes, Paddy Lowe. "Nós voltaremos ano que vem e tentaremos novamente".

O brasileiro Felipe Massa terminou em segundo com a Williams, à frente do companheiro de equipe Valtteri Bottas, da Finlândia, em terceiro.

Mais conteúdo sobre:
F1HAMILTONATUALIZA1*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.