Harvard investiga mais de 100 alunos

A Universidade Harvard investiga o que pode ser o maior escândalo envolvendo trapaça em provas por parte de seus estudantes. Cerca de metade dos mais de 250 alunos de uma classe teria trabalhado em grupo em uma prova que deveria ter sido feita sem ajuda, em casa.

CAMBRIDGE, EUA, O Estado de S.Paulo

31 de agosto de 2012 | 03h04

Em nota enviada aos estudantes, a famosa universidade americana resume as acusações como "desonestidade acadêmica, indo da colaboração não apropriada ao plágio". Se as acusações forem confirmadas, os alunos podem ser suspensos por um ano.

Os estudantes sob suspeita foram notificados e serão chamados para depor. Harvard não revelou o departamento a que a classe investigada pertence, mas um jornal interno disse que é a do curso Introdução ao Congresso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.