Hawking critica EUA e UE por postura em relação a células-tronco

O cientista britânico Stephen Hawking, autor de "Uma breve história do tempo", criticou os EUA e a União Européia (UE) por tentar proibir as pesquisas com células-tronco embrionárias.Em entrevista publicada nesta segunda-feira pelo jornal britânico "The Independent", Hawking, que sofre de uma doença degenerativa que o mantém em cadeira de rodas, considera que as células-tronco embrionárias poderiam permitir o tratamento de males atualmente considerados incuráveis.O cientista disse que se opõe totalmente às tentativas de proibir o financiamento desses estudos. "A Europa não deve seguir a liderança reacionária do presidente (dos EUA, George W.) Bush, que recentemente vetou um projeto de lei aprovado pelo Congresso e apoiado pela maioria da população americana que teria permitido o uso de recursos do Governo federalpara as pesquisas com células-tronco", afirmou Hawking.As pesquisas com células-tronco são a chave para se chegar a tratar doenças degenerativas, acrescentou o cientista. De acordo com Hawking, impedir os estudos com células-tronco embrionárias é como se opor ao uso de órgãos doados de pessoas mortas.Há poucos dias, Bush vetou uma lei que ampliaria os recursos públicos para as pesquisas com células-tronco embrionárias.

Agencia Estado,

24 de julho de 2006 | 06h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.