Helicópteros brasileiros chegam para resgatar reféns na Colômbia

Dois helicópteros brasileiros chegaram à Colômbia no sábado para resgatar dois soldados que a guerrilha das FARC mantêm como reféns e deve libertar esta semana.

REUTERS

27 de março de 2010 | 17h54

As FARC, Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, libertarão dois dos 24 policiais e soldados que mantém como reféns e os entregará à senadora de esquerda Piedad Cordoba e à uma equipe da Cruz Vermelha, que voará para a selva no sul do país no domingo e novamente na terça-feira.

Pablo Emilio Moncayo, que está em cativeiro há mais de 12 anos, e Josué Daniel Calvo, deveriam ter sido libertados há um ano, mas o processo foi adiado porque os rebeldes e o governo de Alvaro Uribe não conseguiram chegar a um acordo sobre os termos da libertação.

"Vamos sair por volta das sete da manhã no domingo para o local onde eles entregarão os reféns", disse Cordoba a repórteres.

Calvo será libertado no domingo e Moncayo na terça-feira.

Os dois helicópteros brasileiros estão estacionados em Villa Vicencio, a 70 quilômetros ao sul de Bogotá. O Exército suspendeu as atividades militares na região até a entrega dos reféns.

As FARC já libertaram reféns no passado, mas o governo Uribe nunca negociou com os participantes da revolta mais antiga da América Latina para acabar com a guerra.

Antes um poderoso exército, as FARC estão combalidas por causa do combate a elas pelo governo Uribe, que tem apoio dos Estados Unidos na guerra. Hoje, o grupo depende mais do que nunca de táticas de guerrilha. Os rebeldes financiam suas operações com o tráfico de cocaína, extorsão e sequestros.

(Reportagem por John Vizcaino)

Mais conteúdo sobre:
REFEMCOLOMBIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.