Hélio Costa lamenta venda de Telemig e Amazônia a estrangeiros

O ministro das Comunicações, Hélio Costa, lamentou nesta sexta-feira a venda do controle das operadoras de telefonia móvel Telemig e Amazônia Celular para a Vivo . O ministro preferiu que o controle das empresas fosse adquirido por um grupo brasileiro. Na noite de quinta-feira a Vivo, controlada pela portuguesa Portugal Telecom e pela espanhola Telefónica, anunciou a compra do controle das duas operadoras por 1,2 bilhão de reais. "Os grupos brasileiros, infelizmente, não se interessaram. Os estrangeiros vieram e ofereceram 1,2 bilhão de reais", disse o ministro a jornalistas em Belo Horizonte. "Temos que alertar os investidores brasileiros que têm que acreditar no sistema de comunicações. O investidor brasileiro e mineiro tem que participar, senão todas as nossas empresas vão embora." O governo tem um projeto para criar uma grande operadora nacional de telefonia fixa para fazer frente às empresas estrangeiras do setor. Uma das possibilidades seria a fusão da Oi e da Brasil Telecom, mas isso exigiria uma alteração na Lei de Comunicações. O projeto de fusão entre as teles fixas está em negociação no governo e o ministro está à frente deste processo. A venda das operadoras de celular para a Vivo ainda depende de aprovação da Anatel e do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). A Telemig e a Amazônia Celular têm cerca de 5 milhões de clientes e devem elevar a carteira da Vivo para 35 milhões de pessoas.

REUTERS

03 Agosto 2007 | 20h19

Mais conteúdo sobre:
NEGOCIOS TELECOM COSTA RECLAMA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.