Hezbollah inicia retirada após recuo do governo

Militantes do Hezbollah começaram a seretirar de Beirute neste sábado após o exército libanês revogaras medidas do governo contra a organização, afirmaramtestemunhas. Elas disseram que militantes, que tomaram a capital nasexta-feira, eram conduzidos para fora das áreas litorâneas deBeirute e outras áreas. Soldados libaneses eram vistospatrulhando as ruas esvaziadas pelo Hezbollah e seus aliados. Momentos antes, o Hezbollah e seus aliados haviam anunciadoo fim do conflito armado em Beirute. "A oposição libanesa encerrará toda sua presença armada emBeirute de modo que a capital estará nas mãos do exército",disse o grupo em um comunicado. O documento, no entanto, afirmou que a oposição manteriauma campanha de "desobediência civil" até que suas demandaspolíticas sejam atendidas. Pouco do anúncio, o exército libanês revogou duas medidascontra o Hezbollah que foram o estopim da tomada do controle deBeirute pelo grupo e conclamou os militantes a se retirar dasruas e desbloquear estradas. O exército disse que manteria o chefe da segurança doaeroporto de Beirute, ligado ao Hezbollah, e que lidaria com arede de comunicações do Hezbollah de maneira a "não prejudicaro interesse público e a segurança da resistência". O premiê libanês Fouad Siniora havia dito também no sábadoter colocado as duas medidas nas mãos do exército.A tomada de Beirute pelo Hezbollah em três dias de conflitosenfraqueceram o governo de Siniora, apoiado pelos EstadosUnidos, e reforçaram a posição do grupo militante como o maispoderoso do Líbano, depois de uma queda-de-braço de 17 mesescom a coalizão governista. Os piores conflitos desde a guerra civil (1975-1990)mataram até o momento 27 pessoas. Os confrontos começaramdepois que o governo anunciou ações contra a rede decomunicações do Hezbollah e a demissão do chefe de segurança doaeroporto, ligado ao grupo xiita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.