Hillary aposta em economia para conter Obama

Senadora tenta superar rival em primárias no Havaí e Wisconsin nesta terça-feira.

Bruno Garcez, BBC

19 Fevereiro 2008 | 07h15

A senadora Hillary Clinton vem enfatizando temas econômicos em sua campanha, na esperança de superar o rival, Barack Obama, e obter a indicação do Partido Democrata à presidência dos Estados Unidos.Os dois senadores voltam a se enfrentar nesta terça-feira, na primária que acontece no Estado de Wisconsin e no caucus que será realizado no Havaí, o Estado natal de Barack Obama. Na segunda-feira, a campanha de Hillary divulgou um plano econômico de 13 páginas. O documento lista os projetos da senadora para áreas como seguro-saúde, crise imobiliária e criação de empregos.O plano fala em criar ao menos 5 milhões de empregos ''colarinho verde'', em menção a postos de trabalho que seriam gerados pela transição de uma economia baseada em petróleo e combustíveis poluentes para biocumbustíveis.O projeto menciona também colocar um fim à isenção fiscal para companhias que terceirizam empregos para o exterior e investir o recurso gerado por estes impostos ''nos inovadores potenciais de nossa economia''.PopulismoHillary vem adotando um discurso populista, na esperança de atrair votos e possíveis eleitores do ex-senador John Edwards, que abandonou a corrida eleitoral e cuja campanha se centrou em atrair votantes que vem sofrendo os efeitos da crise econômica americana. Durante um comício em Wisconsin, na segunda, a senadora disse: ''Nós precisamos de isenção fiscal para a classe média, não para os ricos''. Assim, como já fez em outras paradas da corrida eleitoral, ela voltou a se referir ao presidente George W. Bush e o vice, Dick Cheney, como os ''dois homens do petróleo da Casa Branca''.Os anúncios televisivos divulgados pela campanha de Hillary nos últimos dias também adotam um tom semelhante, o de enfatizar as necessidades populares em detrimento aos interesses das grandes corporações. ''As companhias de petróleo e as companhias farmacêuticas contaram com sete anos de um presidente que as defende. É hora de termos uma presidente que defende todos vocês'', afirma Hillary em um dos comerciais. Hillary prolongou a sua permanência em Wisconsin em mais um dia. Incialmente, ela sairia do Estado na segunda-feira. Mas a tempestade de neve e as baixas temperaturas, na faixa de 13 graus negativos, que acometem o Estado levaram ao cancelamento de alguns de seus eventos de campanha. Recentemente, Hillary tem se alternado em eventos em Wisconsin e nos Estados de Ohio e Texas, que realizam primárias no próximo dia 4 de março.Agenda de ObamaBarack Obama realizou comícios em Ohio na segunda-feira. O senador apresentou o seu plano econômico na semana passada e também tem adotado uma retórica mais populista. Na segunda, Obama contou ter se encontrado com John Edwards, mas não especificou se o ex-senador manifestou ou não apoio à sua candidatura. ''No encontro com John, nós queríamos apenas conversar sobre como podemos mover nosso partido em uma direção que se centre em temas ligados à classe média, aliviando a pobreza e reduzindo a influência dos interesses especiais em Washington'', afirmou o senador, durante uma entrevista a uma emissora de TV de Ohio. Os dois candidatos estão buscando o apoio de Edwards, devido ao apelo do ex-candidato junto a democratas da classe trabalhadora, que têm um peso importante em Estados como Ohio e a Pensilvânia, que realizará sua primária no dia 22 de abril.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.