Hillary promete permanecer na disputa democrata

A pré-candidatademocrata à Casa Branca Hillary Clinton prometeu na sexta-feirapermanecer na disputa, contrariando a sugestão de um senador deque acha que ela deveria desistir para aumentar as chances dopartido na eleição de novembro. "Há milhões de razões para continuar esta corrida", disse asenadora a jornalistas, reagindo à pressão vinda do colega debancada Patrick Leahy, partidário de Barack Obama. Muitos analistas acham que Hillary praticamente não temmais chances de superar Obama e conseguir a indicação democratapara enfrentar o também senador John McCain, republicano, emnovembro. Embarcando em uma viagem de ônibus de seis dias para pedirvotos pela Pensilvânia, Estado que realiza primárias em 22 deabril, Obama comparou a disputa pela indicação democrata a "umbom filme que durou uma meia hora demais." Hillary ironizou a declaração: "Gosto de filmes longos",disse. As pesquisas indicam uma ampla vantagem de Hillary naPensilvânia. No entanto, Obama obteve o apoio de um políticopopular no Estado, o senador Robert Casey, o que pode serespecialmente útil entre eleitores católicos, brancos eoperários. Falando num comício de Obama em Pittsburgh, Casey disse queseu colega é "uma pessoa unicamente qualificada para nos guiarna direção" da mudança e da conciliação. Muitos democratas temem que a prolongada e acirrada disputaentre Hillary e Obama possa ajudar McCain, já garantido comocandidato republicano. Na sexta-feira, o republicano exibiu seuprimeiro anúncio de TV para a eleição. Em nota, Leahy disse que McCain está aproveitando acobertura da imprensa "porque os candidatos democratas têm defocar não nele, mas um no outro". "A senadora Clinton tem todo direito, mas não uma boarazão, para continuar como candidata enquanto quiser", afirmou; O presidente do Partido Democrata, Howard Dean, apareceu emprogramas noticiosos na sexta-feira alertando que a disputapode ser nociva e que ataques pessoais devem ser deixados delado. Não chegou, porém, a pedir a desistência de Hillary. Obama tem grande vantagem sobre a rival em termos dedelegados já comprometidos com sua candidatura para a convençãonacional de agosto. Continua distante, porém, do "númeromágico" de 2.024 delegados.

JEFF MASON, REUTERS

28 de março de 2008 | 20h22

Tudo o que sabemos sobre:
EUAELEICAOHILLARYFICA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.