Hoje, até estações de trem e metrô têm de ser vigiadas

As estações do metrô e de trem, além do caminho que as torcidas de Corinthians e Palmeiras vão percorrer até o Estádio do Pacaembu, receberão atenção especial para o clássico de hoje. De acordo com o major José Balestiero Filho, do 2º Batalhão de Choque da Polícia Militar, serão 180 homens e oito cães na parte interna e, ainda, 300 policiais e cavalaria na externa.

Anelso Paixão, O Estadao de S.Paulo

31 de janeiro de 2010 | 00h00

As estações que merecerão atenção especial são Barra Funda, Clínicas, Sé e Trianon, além da Itaquera-Corinthians, ponto de embarque de boa parte da torcida. O caminho dos torcedores também já está definido. Corintianos vão descer na estação Barra Funda e caminhar pela Avenida Pacaembu. Palmeirenses descerão na estação Clínicas, caminharão pela Rua Major Nathanael e por um trecho da Avenida Paulo Passalacqua, entrando pelo portão par da rampa do tobogã.

A orientação é de que todos cheguem o mais cedo possível ao estádio, que terá seus portões abertos às 14 horas. A venda de ingressos vai até as 13 horas, apenas na sede dos clubes, e não no local. O Pacaembu contará também com Juizado Especial Criminal (Jecrim), que faz com que o autor de qualquer infração já saia do local julgado e com pena aplicada.

Sobre o aumento de 20% da cota de ingressos para a torcida visitante (7 mil), o major Balestiero diz que isso tem a ver com uma mudança de comportamento do torcedor. "Continuamos trabalhando com o número de 5% para os visitantes. Porém, como o Pacaembu tem uma configuração física que permite o isolamento de uma quantidade maior de torcedores no tobogã, e como não registramos nenhum incidente dentro de estádios no ano passado, estamos dando esse voto de confiança", explica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.