Hollywood e roteiristas acertam acordo para acabar com greve

Cerca de 10.500 pararam de trabalhar no dia 5 de novembro, atrapalhando funcionamento da indústria televisiva

STEVE GORMAN, REUTERS

05 de fevereiro de 2008 | 13h10

Representantes dosestúdios de Hollywood e dos roteiristas em greve acertaram ostermos iniciais de um novo contrato que pode ser apresentado alíderes sindicais dentro de alguns dias e, se aprovado, colocarfim à greve de três meses já no final desta semana, disseramduas fontes à Reuters na segunda-feira. Apesar das linhas gerais de um acordo terem sido fixadas nofim de semana passado, os dois lados ainda precisam redigir umcontrato antes de um documento formal ser submetido à aprovaçãodos quadros diretores dos braços da Costa Leste e da CostaOeste do Writers Guild of America (WGA na sigla em inglês),afirmaram as fontes. Essas fontes, que não possuem autorização para falarpublicamente a respeito das negociações devido a um vetoimposto aos meios de comunicação, disseram que os negociadoresesperavam que diretores do WGA se decidam sobre o acordo atésexta-feira. Caso aceitem as condições negociadas, os líderes do WGAdeterminariam a suspensão da greve. Mas a direção do sindicatodos roteiristas está dividida, e a paralisação pode continuaraté assembléias realizadas com os membros da entidade decidirema questão. Uma fonte disse que um avanço importante nas rodadas maisrecentes de negociação, iniciada em 23 de janeiro, deu-sequando ficou resolvido o quanto os roteiristas deveriam receberpelas propagandas colocadas em vídeos exibidos por "streaming"na internet. Essa fonte também descreveu o acordo envolvendo osescritores como uma melhora em relação aos termos de umcontrato anterior selado com os diretores de Hollywood e queajudou a abrir as portas para que os estúdios e o WGAretomassem as negociações após semanas de impasse. "Eles chegaram a um acordo sobre as linhas gerais, e agoraprecisamos traduzir isso em uma linguagem contratual, processoesse que esperamos transcorra bem, e continuar com o mesmoespírito de progresso que as negociações testemunharam atéagora," afirmou. As notícias sobre o acordo marcam o primeiro sinal de umavanço concreto nos esforços que visam colocar fim à grevedesde que o processo entrou em colapso, no dia 7 de dezembro. Os cerca de 10.500 membros do WGA pararam de trabalhar nodia 5 de novembro, quatro dias depois de seu antigo contratocom os estúdios de filme e TV ter expirado, abalando 20 anos depaz trabalhista em Hollywood. A greve atrapalhou o funcionamento da indústria televisivanos EUA e prejudicou várias produções de filmes, custando,segundo estimativas, cerca de 650 milhões de dólares emsalários desperdiçados apenas na área de Los Angeles. E a economia local perdeu 1 bilhão de dólares emfaturamento como consequência da greve, segundo estimativas. Segundo o Daily Variety, os executivos da TV consideram odia 15 de fevereiro como a data-limite para levar osroteiristas de volta ao trabalho a tempo de salvar o que restada atual temporada e criar novos scripts para os programas dopróximo outono. Para os estúdios de cinema, março parecia ser a últimachance de evitar grandes percalços na agenda de lançamentos de2009.

Tudo o que sabemos sobre:
HOLLYWOODGREVE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.