Homem-bomba mata 17 pessoas em ataque suicida no Afeganistão

Um homem-bomba em uma motocicleta detonou seus explosivos em um local repleto de pessoas no sudoeste do Afeganistão na sexta-feira, matando 17 pessoas, incluindo um alto funcionário policial, disse um governador provincial.

SHARAFFUDDIN SHARAFYAR, REUTERS

20 de novembro de 2009 | 11h12

O chefe de polícia da província de Farah, Faqir Mohammad Askar, disse que o alvo do ataque na capital provincial, Farah City, foi o alto funcionário policial, morto juntamente com dois de seus guarda-costas.

Um porta-voz do Taliban, Qari Yusuf, telefonou à Reuters desde local não revelado e negou que o Taliban tenha realizado o ataque em Farah.

"Sempre que há mortes de civis, o Taliban nega sua responsabilidade," disse o governador Amin, da província de Farah. "Este ataque foi sem dúvida realizado pelo Taliban."

A violência no Afeganistão chegou ao nível mais alto desde a invasão liderada pelos EUA no final de 2001. Enquanto os militantes do Taliban normalmente atacam as forças estrangeiras e as forças de segurança afegãs, em sua tentativa de derrubar o governo e expulsar as tropas internacionais do país, a maioria dos mortos e feridos costuma ser composta de civis.

De acordo com as Nações Unidas, cerca de 1.500 civis foram mortos no país entre janeiro e agosto deste ano.

O ataque mais recente ocorreu um dia depois da posse do presidente Hamid Karzai em seu segundo mandato de cinco anos, em cerimônia que teve a presença de dezenas de dignitários estrangeiros.

Em seu discurso de posse, Karzai disse que quer que as forças afegãs liderem o esforço de garantir a segurança em todo o país, assumindo o lugar das forças militares internacionais. No momento há cerca de 110 mil soldados estrangeiros no Afeganistão, entre os quais 68 mil americanos.

Nas próximas semanas o presidente americano Barack Obama deve anunciar sua decisão sobre o envio ou não de 40 mil soldados adicionais, que seu comandante chefe no Afeganistão, o general do exército Stanley McChrystal, diz que necessita para sufocar a insurgência crescente.

Província majoritariamente desértica situada na fronteira com o Irã, Farah é uma das áreas nas quais os ataques insurgentes vêm aumentando este ano, com os militantes do Taliban partindo de suas bases tradicionais no sul e leste do país para chegar ao oeste e norte.

A força liderada pela Otan no Afeganistão confirmou o incidente em Farah, mas disse que não havia tropas ocidentais na área no momento do ataque.

Tudo o que sabemos sobre:
AFEGANISTOATAQUESUICIDA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.