Homem confessa ter incendiado portal histórico em Seul

Polícia afirma qu o homem teria usado thinner para atear fogo no monumento

Marina Wentzel, BBC

12 de fevereiro de 2008 | 08h15

A policia da Coréia do Sul ouviu a confissão de um homem que disse ter iniciado o incêndio que destruiu o portal de Namdaemun, uma das principais atrações turísticas da capital Seul, neste domingo. O portal atacado foi construído no século 14 e é considerado o maior tesouro histórico da Coréia do Sul.  Foto: ReutersO homem, de 69 anos, foi questionado pela polícia depois que os oficiais encontraram em sua casa peças de roupas e uma sacola idênticas às descritas por uma testemunha que disse ter visto a pessoa que ateou fogo no monumento. Uma lata de solvente inflamável - thinner - também foi encontrada na casa, informou o jornal local Korea Times. "O suspeito admitiu todos os seus atos criminais a polícia", disse o capitão Kim Yong-su em uma coletiva de imprensa exibida pela TV local. O incendiário usou thinner para iniciar o fogo, afirmou o policial. O homem, identificado apenas pelo sobrenome de Chae, disse que cometeu o ato de vandalismo porque estava insatisfeito com a compensação que recebeu quando teve suas terras confiscadas. Chae tinha antecedentes criminais por vandalismo e esteve preso por tentar incendiar um outro monumento há dois anos atrás. Em abril de 2006 ele ateou fogo no antigo palácio real de Changgyeong. Na época, Chae também havia justificado a ação como um ato de protesto pela baixa recompensa que obteve por suas terras. O incêndio começou na noite de domingo na capital da Coréia do Sul, Seul, e mais de 100 bombeiros trabalharam no local para conter o fogo. Mas apesar do esforço, a estrutura de madeira que ficava apoiada sobre pilares de pedras foi completamente destruída em quatro horas e sobrou apenas a base de rocha. O incêndio não deixou vítimas fatais. Na segunda-feira, o presidente recém eleito Lee Myung-bak visitou a área do incêndio e disse à imprensa internacional que o cenário era "de quebrar o coração". Tesouro A edificação tinha dois andares e recebeu o status de "Tesouro Nacional Número 1" em 1962, quando já tinha sobrevivido a mais de cinco séculos e meio de história. O portal que marcava a entrada principal da cidade de Seul foi construído em 1398 e reconstruído em 1447. A estrutura de madeira a parte superior foi inúmeras vezes restaurada e era a mais antiga da cidade. Há dois anos o portal foi reaberto à visitação do público pela primeira vez desde 1907. Estimativas iniciais sugerem que serão necessários três anos para reconstruir a parte destruída e a obra custará cerca de US$21 milhões (R$37 milhões). Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.