Homem desaparecido por 23 anos volta à casa

Bengalês de 52 anos passou 15 anos em presídio no Paquistão.

BBC Brasil, BBC

02 de agosto de 2012 | 06h51

Um homem, natural de Bangladesh, desaparecido há 23 anos, se reencontrou com a família, que acreditava que ele havia morrido.

Moslemuddin Sarkar, de 52 anos, chegou em Daca nesta terça-feira, um dia depois de ser libertado de um presídio no Paquistão com a ajuda da Cruz Vermelha.

Ele diz ter sofrido torturas durante os 15 anos que passou na prisão e conta que, até hoje, não entende porque foi mantido em cárcere por tanto tempo.

"Eu pedia a autoridades da embaixada que me enviassem de volta para Bangladesh, mas ninguém me escutava", disse ele à BBC.

Sarkar foi calorosamente recebido pela família no aeroporto de Daca. A mãe dele chegou a desmaiar ao reencontrar o filho.

"Nós procuramos por ele, durante anos, mas perdemos as esperanças e achávamos que ele tinha se afogado no mar, mas a nossa mãe sempre acreditou que o seu filho voltaria para casa um dia", contou o irmão mais novo, Julhas Udin.

A família perdeu o contato com Sarkar, quando ele foi à Índia em busca de trabalho em 1989.

Anos depois, em 1997, ele foi preso, quando tentava entrar no Paquistão ilegalmente.

"Eu fui para o Paquistão, acreditando que conseguiria um emprego melhor lá, mas ele me 'pegaram' na fronteira", disse ele à AFP.

Ele ainda tentou escrever da prisão para a família, mas as cartas nunca foram postadas.

A sorte dele mudou, quando o Paquistão mandou uma lista de prisioneiros antigos para autoridades do consulado de Bangladesh, que, então, informaram à família. Com a ajuda do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, Sarkar foi solto. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.