Homem doa esperma para gerar próprio neto

Esperma do homem de 72 anos está sendo testado em clínica londrina.

BBC Brasil, BBC

06 de outubro de 2007 | 17h10

Um homem de 72 anos, que quer manter sua identidade em segredo, decidiu doar o esperma que pode gerar seu próprio neto.O objetivo dele é ajudar seu filho e a nora, que estão na faixa dos 30 anos, e não tiveram sucesso em tentativas anteriores de fertilização in vitro.Testes preliminares - realizados na Clínica de Mulheres de Londres, onde o casal está sendo tratado - indicaram que o esperma é viável. Não é incomum que homens continuem produzindo esperma saudável mesmo depois dos oitenta anos, mas o bebê gerado a partir deste sêmen será filho genético do avô e meio-irmão do próprio pai.Um dos diretores médicos da clínica, Kamal Ahuja, disse ter passado meses em discussão com entidades independentes e comissões éticas antes de tomar a decisão de levar o tratamento adiante.Peter Bowen-Simkins, outro médico da clínica, disse que nunca viu um caso como este antes, mas afirma que avanços nos tratamentos de fertilidade fizeram com que as pessoas passassem a contemplar todas as opções disponíveis."A sociedade também mudou suas percepções sobre o que é ou não aceitável. Neste caso, manter a identidade da criança similar a do casal era um fator muito importante. O marido não tem irmãos, por isso ele decidiu escolher o próprio pai para ajudar", disse o médico.Na Grã-Bretanha, a doação de esperma ou óvulos por membros da família é permitida por lei.Mas uma vez que alguém aceita que seu esperma seja usado numa fertilização, ele passa a não ter nenhum direito legal sobre quaisquer crianças que sejam geradas pelo tratamento.Ainda segundo as leis britânicas, quando a criança faz 18 anos, ela tem o direito de saber quem são seus pais biológicos.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
doaçãoespermanetofilhosaúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.