Homem é detido em protesto no Rio por não portar RG

Um homem foi detido na tarde desta quinta-feira na concentração da manifestação na Igreja da Candelária, no Rio de Janeiro, segundo advogados do Movimento Habeas Corpus, porque não portava carteira de identidade. Um grupo de manifestantes tentou impedir que o carro da polícia deixasse o local. Cerca de dez advogados desse movimento, que tem o apoio da Comissão de Direitos Humanos da OAB-Rio, acompanham a manifestação no centro. Outros advogados já estão de plantão nas delegacias do Catete e Centro.

HELOISA ARUTH STURM, Agência Estado

11 de julho de 2013 | 16h36

Além das pautas unificadas das centrais sindicais, tais como a derrubada do projeto de lei 4.330/04, que prevê terceirizações no serviço público, os sindicatos também levaram à passeata promovida na tarde desta quinta-feira pela avenida Rio Branco, no centro do Rio, pautas específicas de cada categoria.

A principal demanda do sindicato dos professores do Rio (Sinpro-Rio) é a criação de uma CPI nacional para investigar aquisições das instituições privadas de ensino superior.

Uma CPI estadual no Rio, concluída no início deste ano, recomendou o indiciamento de dez pessoas, entre reitores e gestores de mantenedoras, por sonegação fiscal e outros crimes. "Temos que investigar essas práticas que colocam instituições de ensino nas mãos de grupos financeiros. É inadmissível essa precarização das condições de trabalho em um setor que movimenta R$ 11 bilhões por ano só no ensino superior privado", disse o presidente do Sinpro-Rio, Wanderley Quedo.

Mais conteúdo sobre:
protestosRioCandeláriaprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.