Homem é suspeito de matar noiva e atear fogo em corpo

O comerciante José Geraldo Loyola Freire, de 40 anos, foi preso nesta segunda-feira, 30, em Sorocaba, suspeito de ter matado e ateado fogo ao corpo da noiva, Deusinete Silva Araujo, de 50 anos.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

30 de setembro de 2013 | 20h17

O corpo foi encontrado carbonizado no porta-malas de um carro, no Jardim Maria Eugênia, zona norte da cidade. Moradores chamaram a polícia depois de ouvir uma explosão e ver o veículo em chamas. Os policiais foram à casa do comerciante depois de checar a placa do veículo. Ele se tornou suspeito porque tinha o braço e a sobrancelha chamuscados.

Os policiais acharam na casa um galão de combustível semelhante ao encontrado ao lado do carro. Araujo acabou confessando ter causado a morte da noiva, mas alegou ter sido um acidente. Ele teria encontrado mensagens de outro homem no celular da mulher e, com ciúmes, discutiu com ela e acabou empurrando-a. Deusinete teria rolado pela escada e morrido na queda. Com receio de ser acusado, decidiu incendiar o carro com o corpo. O caso foi denunciado como homicídio doloso - com intenção de matar. A polícia aguarda os laudos para confirmar a causa da morte.

Mais conteúdo sobre:
noivamortefogo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.