Homem simples e com facilidade para o diálogo

O cardeal João Braz de Aviz, de 65 anos, era arcebispo de Brasília quando Bento XVI o nomeou prefeito da Congregação dos Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica. Natural de Mafra, na região de Joinville, em Santa Catarina, ele foi ordenado padre em 1972 e nomeado bispo auxiliar de Vitória (ES) por João Paulo II, em 1994.

O Estado de S.Paulo

13 de março de 2013 | 10h20

Transferido para Ponta Grossa (PR) em 1998 como bispo diocesano, foi promovido em 2002 a arcebispo de Maringá (PR). Um ano e meio depois, assumiu a Arquidiocese de Brasília. Sempre ligado ao movimento dos Focolari, desenvolveu intensa atividade pastoral.

Sua nomeação para a Cúria Romana foi uma surpresa no Brasil, mas, ao chegar ao Vaticano, logo mostrou grande capacidade de trabalho e facilidade para o diálogo. Desde os primeiros meses de administração, visitou os superiores gerais de ordens e congregações religiosas com sedes em Roma.

Nomeado cardeal por Bento XVI em 18 de fevereiro de 2012, d. João de Aviz tem um jeito de homem simples e bonachão, sempre sorridente e aberto para uma boa conversa. Ele se fechou para a mídia quando seu nome foi incluído entre os papáveis. As informações que foram vazadas à imprensa mostram que ele teve marcante presença nas reuniões dos cardeais, ao defender reformas na Cúria Romana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.