Homens armados matam mais de 12 militantes do Estado Islâmico na Síria

Homens armados não identificados atacaram militantes do Estado Islâmico na cidade de al-Mayadin no leste sírio durante a noite, matando mais de 12 pessoas, no último de uma série de ataques de guerrilha ao grupo de linha dura em áreas que controla perto da fronteira iraquiana.

REUTERS

08 de março de 2015 | 12h34

Os ataques na província de Deir al-Zor foram realizados por dois grupos separados de homens armados, segundo reportagem do Observatório Sírio para os Direitos Humanos. O Estado Islâmico, que tomou controle de quase toda a província de Deir al-Zor no ano passado, enfrenta uma onda de ataques por homens não identificados na área.

Até agora, ninguém assumiu responsabilidade pelos ataques. A mídia estatal síria atribuiu ataques semelhantes em janeiro à "resistência popular" ao Estado Islâmico, que reprime brutalmente qualquer oposição a seu controle.

O primeiro grupo de agressores abriu fogo contra uma patrulha do Estado Islâmico, matando 12 homens armados antes de atacar membros do EI que estavam mantendo guarda de um tribunal. Eles estavam em pelo menos duas bicicletas motorizadas.

Um segundo grupo atacava, ao mesmo tempo, um ponto de inspeção na mesma cidade, matando e ferindo um número desconhecido de militantes do Estado Islâmico, disse o Observatório.

Al-Mayadin fica a 60 quilômetros da fronteira com o Iraque. Ao mesmo tempo em que perdeu controle de grande parte da província de Deir al-Zor para o Estado Islâmico, o governo sírio ainda controla partes da cidade de Deir al-Zor.

(Por Tom Perry)

Mais conteúdo sobre:
MUNDOEISIRIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.