Homossexual diz ter sido agredido em casa noturna

Dois atendentes da casa noturna Lab Club, na Rua Augusta, no centro da capital, são acusados de agredir um cliente com ofensas homofóbicas. A ocorrência, na madrugada de sábado (12), teria incluído socos e pontapés, levando a vítima, o maquiador Guilherme Nutti, de 28 anos, a ficar com ferimentos. O caso foi registrado no 4.º Distrito Policial (Consolação) como lesão corporal dolosa - ou seja, com intenção.

CAIO DO VALLE, Agência Estado

15 de janeiro de 2013 | 10h17

Segundo Nutti, os ataques começaram depois de uma reclamação sobre um copo de vodka recebido do bartender, que teria vindo com menos volume do que o da dose convencional.

Frequentador do Lab Club, o maquiador diz que nunca havia sofrido nenhum tipo de preconceito no local. Também afirmou não conhecer os bartenders que o agrediram. Sobre o que pode ter motivado o funcionário a destratá-lo, Nutti suspeita de intolerância. "Era nítido que ele estava com ódio de atender o público gay", acredita

Em nota divulgada ontem, o estabelecimento informa ter prestado "imediatamente" os primeiros atendimentos à vítima. Depois, um dos sócios da casa noturna "que estava presente no local no momento do incidente levou" Nutti para o Hospital Beneficência Portuguesa, "prestando todo tipo de auxílio necessário". A administração do estabelecimento divulgou ainda que esta foi "a primeira vez que um incidente do tipo aconteceu no clube, que promove treinamentos periódico" a seus funcionários. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Mais conteúdo sobre:
agressãohomossexualSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.