Hopi Hari é condenado a pagar indenização para família agredida

Parque terá de pagar R$ 15 mil por agressões físicas e verbais cometidas por funcionários em 2002

Ricardo Brandt - O Estado de S. Paulo,

24 Maio 2012 | 18h35

CAMPINAS - O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) condenou o Hopi Hari, no interior, a pagar indenização de R$ 15 mil para uma família que sofreu agressões físicas e verbais por funcionários do parque de diversões em 2002. Paula Fernanda da Silva Vieira e outras quatro pessoas de sua família estavam próximas da entrada do parque, quando um bombeiro do parque de diversões retirou ingressos promocionais das mãos de Paula e acusou a vítima de atuar como cambista.

Houve "desentendimentos e agressões", segundo a sentença. Depois, ela e os parentes Marcus Vinicius da Silva Vieira, Maria Jose da Silva Vieira, Genilde Josefa da Silva Bueno e Willian da Silva teriam sido levados ao Setor de Atendimento ao Visitante do parque, onde lhes foi autorizada a entrada e prestados atendimento médico.

A defesa do parque alegou que a família teria ido de São Paulo a Vinhedo para negociar sete ingressos promocionais. A suposta vítima nega. O Hopi Hari vai recorrer da decisão de segunda instância, dada no início do mês,. O advogado da família, Walter Luiz Custódio, havia solicitado uma indenização de R$ 54 mil. O parque pode recorrer da decisão no Supremo Tribunal Federal (STF) e no Superior Tribunal de Justiça (STJ). O Hopi Hari informou também, por meio de nota, que entende que seus funcionários não deram causa ao incidente.

Mais conteúdo sobre:
Hope Hari condenação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.