Hora extra faz mais mal para mulheres

Mulheres que trabalham muitas horas por dia têm maior probabilidade que os homens de cair em comportamentos pouco saudáveis como consumo excessivo de petiscos, tabaco e cafeína. Um novo estudo mostra que homens e mulheres reagem de forma muito diferente ao excesso de horas de trabalho.Segundo o pesquisador Daryl O´Connor, "mulheres que trabalham demais comem lanches com mais gordura e açúcar, fazem menos exercício, bebem mais cafeína e, se forem fumantes, fumam mais que os colegas homens". No caso do sexo masculino, trabalhar muitas horas "não tem impacto no exercício, na cafeína ou no tabaco". Um benefício das horas extras no escritório, segundo O´Connor, é que "o consumo de álcool diminui" para ambos os sexos.Essas descobertas são parte de um estudo amplo, conduzido por psicólogos da Universidade de Leeds, sobre os efeitos do estresse na alimentação. "Estresse leva as pessoas a optar por lanches com muita gordura e açúcar. Além disso, pessoas estressadas comem menos nas refeições regulares, e passam a preferir lanches" gordos e doces. Dos diferentes tipos de estresse, é o mental que leva as pessoas a petiscar. Além disso, o estresse afeta mais o apetite de certos tipos de pessoa, descritos por O´Connor como "comedores emocionais". "Quando se sentem ansiosos, emocionalmente estimulados ou negativamente sobre si mesmos, tentam evitar esses sentimentos desviando atenção para a comida".

Agencia Estado,

12 de julho de 2006 | 17h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.